domingo, 31 de janeiro de 2010

Entre os meus dedos...


Medo, escorre entre os meus dedos
Entre os meus dedos
Eu lambo os dedos
E saboreio meu próprio medo


(...)

Só trememos por nós mesmos
Ou por aqueles que amamos
Homem que nada teme
É homem que nada ama

__________________________________________________________________________

2 comentários:

R' Delights disse...

Medo de que amor? Não fique assim! Estou aqui... te amo!

Malu Amaral disse...

¬¬