quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Legião de Narcisistas...

O Espelho
Por que será que nos preocupamos tanto com a opinião desse objeto, diga-se de passagem, fascinante?
Tudo nos leva a acreditar que a primeira vez que um humano viu seu reflexo foi na água. Isso me faz imaginar o que ele pensou na hora ,com certeza não se preocupou com o conceito "beleza", no minimo achou que tinha alguém preso do outro lado.

Acredita-se que os primeiros esboços de espelho surgiram em meados de 3.000 a.C. na região que conhecemos hoje como Irã. Tudo se deu quando esse povo começou a usar areia para polir metais e pedras. Esses "espelhos" refletiam apenas contornos, nada nítido. Isso só foi mudar depois do século XIII em Veneza, quando tiveram a brilhante idéia de juntar vidro a chapas de metal, que é o que temos até hoje.
Acontece que naquela época o epelho era mais caro que um navio de guerra, ou seja, apenas os nobres o possuiam (que lastima).
Como seria nossa vida sem o espelho? Será que a sociedade não se importaria tanto com as aparências e sim com o potencial de cada ser? Pois é, não sei.Só sei que toda mulher tem um na bolsa e não consegue ficar sem olhar pra ele pelo menos umas 5 vezes ao dia, talvez sejamos um bando de inseguras. Mas os homens estão nos surpreendendo, alguns são mais vaidosos que nós. Ai ai, esse metrosexualismo.
O quesito espelho sempre esteve presente nas histórias, até mesmo as infantis. Quem nunca escultou a famosa frase : "Espelho espelho meu, existe alguém mais belo do que eu?"
Aí, a imagem e o espelho, aliás, a opinião do espelho sempre foi motivo de muita inveja, desde os primórdios.
Por algum acaso conhecem o mito de Narciso? É bem interessante, vou resumi-lo.

Mito de Narciso

Narciso era uma bela criatura, por isso despertava a cobiça e paixão das ninfas e donzelas da redondeza. Mas Narciso preferia viver só, pois acreditava que ninguém chegasse aos seus pés.
Havia uma ninfa, chamada Eco, amante dos bosques e florestas, companheira de Diana em suas caçadas. Eco tinha um grave defeito: falava demais e sempre dava a última palavra.
Certo dia, Hera, desconfiada (com razão) da traição do marido (esse, se divertia com as ninfas)saiu a sua procura.Eco começou a enrolar a Deusa enquanto as amigas se escondiam, percebendo a artimanha da ninfa, Hera a condenou a não poder falar nenhuma palavra por sua iniciativa, a não ser responder quando interpelada.
Enquanto Eco passeava no bosque avistou Narciso caçando e se escondeu para admira-lo. Percebendo certa agitação, Narciso gritou:
- Há alguém aqui?
- Aqui! - respondeu Eco.
Narciso olhou em volta e não viu ninguém. Queria saber quem estava se escondendo dele, e quem era a dona daquela voz tão bonita.
- Vem - gritou.
- Vem! - respondeu Eco.
- Por que foges de mim?
-Por que foges de mim?
- Eu não fujo! Vem, vamos nos juntar!
- Juntar! - a donzela não podia conter sua felicidade ao correr em direção do amado que fizera tal convite.
Narciso, vendo a ninfa que corria em sua direção, gritou:
- Afasta-te! Prefiro morrer do que te deixar me possuir!
- Me possuir... - disse Eco.

Aquela situação foi péssima. Narciso foi embora e Eco foi se esconder. Acabou definhando de tanta vergonha, porém sua voz foi a única coisa que lhe restou, e continua repetindo a última palavra.
O sofrimento da Ninfa não foi em vão pois do alto do Olimpo um deus viu tudo o que aconteceu e prometeu castigar Narciso.
Havia um belissimo rio, de águas claras envolto de flores e plantas. Apesar da sua beleza saudavel, nenhum animal ousava bebericar as águas do rio.
Em um dia de caçada, Narciso avistou o rio, e com muita sede decidiu beber um pouco da água. Antes que isso pudesse acontecer, Narciso viu, refletindo naquela água pura o ser mais belo que já viu.
Apaixonou-se por aquela bela figura. Acenava pro ser e o ser acenava para ele, sorria para o ser e o ser sorria para ele, porém, quando tentava encostar, abraçar o ser, ele sumia. Chateado, Narciso não entendia por que a criatura se negava a abraça-lo. Sem conseguir encostar no ser que tanto amava, passou seus dias e noites a admira-lo. Ele dizia, e Eco respondia, sempre dando a última palavra.

____________________________________________________________________
Triste não?
Por esse mito que chamam as pessoas muita vaidosas e que se olham muito no espelho, de narcisistas, pois elas ficam admirando sua própria beleza.
Não serei hipócrita em dizer que não sou, pelo menos um pouco, narcisista. Mas digo também que tenho andado bastante esculaxada últimamente, preciso voltar a me arrumar. Não me arrumo pros outros e sim para mim, para eu me sentir bem sacas?
Queria mesmo era ter o "Espelho de Ojesed", na verdade eu preciso de um desses pra saber o que eu realmente desejo.
Essa coisa de viver em função do que o espelho diz é bem doentil. Lembre-se, ele não mente, mas sua imaginação pode não acreditar, ou acreditar demais. Enquanto houver espelho, sempre me acharei gorda (mas eu sou mesmo), e sempre vou querer mudar algo. Viva a cirurgia plástica.
Não sou contra as pessoas que se arrumam, pelo contrário, acho que todos se sentem melhor quando fazem algo tipo, no cabelo. Mas é preciso lembrar que existem vários outros valores, beleza não é tudo nem é pra sempre, mas o bem-estar sim.
Cresci, e não me apaixono apenas por uma imagem e sim por um conjunto.



2 comentários:

André Walker disse...

Nossa! isso foi uma verdadeira tese de mestrado! ^^

Dan Potter disse...

ah a vaidade é boa às vezes porque gostar de si mesmo é bom! pelo menos vc valoriza sua vida... claro que num tem que ser um Weslley da vida (uahsuahusa), mas tbm tem que gostar um pouco só de si mesmo... tenho que aprender isso... rsrs

ah agora eu sigo seu blog bella! =P